Cicatriz de Marilyn Monroe, A

  • R$ 38,00

Calcular Frete

  • Cicatriz de Marilyn Monroe, A

Nascida Norma Jeane, Marilyn Monroe tinha lampejos como: “Primeiro preciso convencer a mim mesma de que sou uma pessoa. Depois talvez me convença de que sou uma atriz”.

É imediato associar tal inquie¬tação à ironia de um Álvaro de Campos: “Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti e perdi-me”, ou à de um Bernardo Soares: “Sonhar é muito mais prático que viver”.

Fernando Pessoa é talvez quem esteja mais à mão, mas poderíamos pensar em vários outros poe¬tas, artistas e pensadores com os quais Marilyn dialoga, de Nietzsche a Deleuze, todos empenhados em estabelecer o limite entre norma e exceção, verdade e mentira – a vertiginosa perquirição da identidade em crise.

Tal é o entrecho do poema dramático A cicatriz de Marilyn Monroe, longo monólogo em que Marilyn divide a cena com seu duplo, Norma (ou seria o contrário?), enquanto aguarda a chegada do fotógrafo da Vogue.

Enquanto espera, Marilyn mergulha fundo em si mesma, disposta a se revelar por inteiro, e diz, brincalhona e fatal, ao fantasma do fotógrafo: “Vamos ver se você segura o tranco, se é bom de câmara, / se a alma não sai pela boca quando eu ficar bem perto, / à queima-roupa, e abrir os olhos / para além da metáfora de florir”.

Mirando-se no espelho, Norma reconhece: “Perdi a vida por amar o disfarce”. Mas imediatamente em seguida, na mesma frase, Marilyn retruca: “o artifício é o dom / dos que não se contentam com pouco e cavalgam alheios / no pelo lustroso da Ursa Maior”.

Para retardar o instante da revelação, cada cena é antecedida do seu respectivo “plano” – voz neutra de um narrador que, à semelhança do coro na tragédia grega, convida o leitor a acompanhar de perto o drama do ser que sabe: a mentira não existe; mentir é só uma forma de dizer a verdade.

Em suma, poesia da melhor qualidade, amorosamente extraída de um dos mitos do nosso tempo, essa fulgurante Marilyn Monroe/Norma Jeane, que enquanto aguarda o fotógrafo da Vogue é flagrada pelo olhar inquieto do poeta Contador Borges.

Carlos Felipe Moisés

Especificações Técnicas
Autor(a) Luís Augusto Contador Borges
Nº de páginas 96
ISBN 9788573213720
Largura 14cm
Altura 19cm

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.