Cem encontros ilustrados

  • R$ 38,00

Calcular Frete

Disponível também em versão e-book nas lojas:


Amazon | Kobo | Play Livros | Loja Apple



Não conheci James Joyce pessoalmente, mas conheci sua filha Lucia. 

Ela era ainda jovem e fui visitá-la num sanatório perto de Londres. Ela estava deitada, com os olhos abertos, olhando o teto: “I have never seen a star in the sky”, ela me disse, “Do you know why? No clouds but no stars as well” (o inglês dela não era muito bom, nem o meu, pelo menos foi o que a minha amiga Luci me disse). “É assim mesmo”, eu disse. Ela ficou em silêncio e aproveitei para me apresentar como estudiosa e tradutora da obra do seu pai. Na verdade, o que eu queria é que ela me contasse dos anos de Finnegans wake [...].

D.W.A 


***

Conheci a escritora numa oficina de produção de laticínios em Gruyères, na Suíça. Logo percebi que se tratava de pessoa sensível e com enorme talento para a seleção de vacas leiteiras e bezerros necessários à fabricação do queijo gruyère. A propósito, era sobre a casca grossa desse queijo que ela escrevia breves poemas de cunho político com o intuito de alimentar não só o corpo mas o espírito dos consumidores ao redor do mundo, pois o queijo que fabricávamos era exportado para inúmeros países, inclusive para o Brasil, terra natal da autora destes contos cruciais para a literatura contemporânea.

Neste livro, contudo, ela troca os versos por breves relatos em prosa, nos quais propõe uma contundente revisão da história literária ocidental, rebatendo teorias até o momento em voga e reelaborando com muita sagacidade o cânone literário. 

  Mas este é também um livro de memórias, pois a escritora, que é também jornalista, formada na Escola de Altos Estudos de Barra Velha (SC), reproduz entrevistas e encontros com os mais diversos escritores com quem teve o prazer de conviver ao longo de seus anos de combate intelectual na América Latina.

Confesso que fiquei tão impactada com a presente obra que me perguntei: “Como ela, então uma jovem, pôde conceber e desenvolver uma ideia tão medonha?”.

Mary Shelley

 

Dirce Waltrick do Amarante é professora do Curso de Artes Cênicas e do Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Recebeu o Prêmio ABRALIC de Tradução: Prêmio Boris Schnaiderman, na categoria Prosa (2019), pela tradução de Finnegans Wake (por um fio), de James Joyce; coorganizou e cotraduziu com Luci Collin O que você está olhando e Para fazer um livro de alfabetos e aniversários de Gertrude Stein; organizou e traduziu Viagem numa peneira e Conversando com varejeiras azuis, coletâneas de textos em prosa e verso de Edward Lear. É autora de As antenas do caracol: notas sobre literatura infantojuvenilPequena biblioteca para crianças: um guia de leitura para pais e professores e A biblioteca e a formação do leitor infantojuvenil: conversa com pais e professores, dentre outros, todos publicados pela Iluminuras.






Especificações Técnicas
Autor(a) Dirce Waltrick do Amarante
Nº de páginas 96
ISBN 978-85-7321-623-3
Formato 13,5x20,5 cm

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.