Deuses no exílio, Os

Deuses no exílio, Os

R$ 45,00
R$ 31,50 à vista no débito, no boleto ou cartão de crédito. Todos via pagseguro (com 30% de desconto).
Modelo: Heinrich Heine
Disponibilidade: Em Estoque

Nos anos em que vive em Paris, Heinrich Heine escreve uma série de trabalhos sobre a mitologia pagã, nos quais tenta rastrear os vestígios da sobrevivência dos deuses antigos na história do ocidente. Um desses trabalhos é a sequência de narrativas intitulada Os Deuses no Exílio, em que tenta desvendar ao leitor o destino das divindades antigas depois do surgimento do cristianismo.

Dessas pequenas narrativas, há duas versões, uma em alemão e outra em francês (ambas aqui traduzidas), que guardam aspectos inconfundíveis do estilo e da verve humorística do autor.

Na versão francesa, ele combinou elementos de mitos germânicos e da mitologia grega, fundindo à obra trechos de um outro livro seu, Espíritos Elementares.

Heine se apropria de diversos materiais históricos, narrativas e mitos, como, por exemplo, lendas recolhidas pelos irmãos Grimm ou sagas populares suecas. Três dessas lendas, traduzidas neste volume, dão uma ideia do modo como a mitografia heiniana reelabora as fábulas antigas.

Muitos são também os autores que se inspiraram em Os Deuses no Exílio. Théophile Gautier, por exemplo, escreveu uma continuação, intitulada Sylvain, e Théodore de Banville, um poema sobre o Exílio dos Deuses.

Eça de Queiroz, que conhecia o texto pela versão francesa, reavivou o tema do desterro das divindades pagãs em trechos de suas Prosas Bárbaras, e o ironizou na Correspondência de Fradique Mendes.

Também Jorge Luis Borges se inspirou na obra de Heine. Na “crônica” Rognarök, ele conta a sua versão do destino que coube aos deuses.

Especificações Técnicas
Autor(a) Heinrich Heine
Nº de páginas 169
ISBN 85-7321-180-6
Largura 14cm
Altura 21cm

Fazer um comentário

Seu Nome:
Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.
Avaliação: Ruim Bom
Digite o código da imagem:

Continuar