Discreto afeto

Discreto afeto

R$ 37,00
Modelo: Eduardo de Campos Valadares
Disponibilidade: Em Estoque

 

Ilha minúscula

Cápsulas, comprimidos, relógios, sacolas, garrafas

Lanternas, fraldas, tendas, pentes, tubos

Assaltam a fina praia

E a fama da alma planetária

Próximo do patamar de pária.

Como será o futuro:

Lodo ou reinvenção do todo?

 

Mundo virtual multi- e transdimensional, interconectado à velocidade da luz, sujeito a imprevisíveis mudanças do (des)humano (des)afeto. Complexas construções, emaranhado de emoções indecifráveis, ermo silêncio, obsessão pela palavra muda, gesto inócuo, inocente olhar dissimulado, monólogo episódico. Desejos infundados, provisórios, mal definidos, carências, apreensão, caos, instantânea obsolescência, impotência, acúmulo: colapso local e global, manipulação de códigos sem expressão: poluído ruído. Qual o sentido desta corrida insana que nos exaure? O que buscamos afinal? A mais inacessível ilusão? Incontida alegria, genuíno amor, reinventar da esperança, do perdão? Solidão asséptica, bálsamo virtual, sombria serenidade, paraísos paradoxais? Paixão compartilhada, acolhida, acariciada? Fragmentos de labirintos, emoções cortantes, ríspida indiferença nos rondam. Busco poesia que respire vida.

 

Eduardo de Campos Valadares nasceu em São Gotardo, Minas Gerais, e doutorou-se em física. É professor titular na UFMG e vive em Nova Lima, região metropolitana da grande Belo Horizonte. Morou em diversos estados brasileiros, na Alemanha e Inglaterra. Traduziu para o português o poeta alemão Stefan George (Crepúsculo, Iluminuras) e Paul Valéry, poeta francês, que, como George, foi discípulo de Mallarmé.

Especificações Técnicas
Autor(a) Eduardo de Campos Valaderes
Nº de páginas 120
ISBN 9788573215281
Largura 19
Altura 14

Fazer um comentário

Seu Nome:
Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.
Avaliação: Ruim Bom
Digite o código da imagem:

Continuar